Menu:

Documentos criados com o TeX

arrow Cálculo vectorial: versão interactiva e código fonte (requer o pacote insdljs).
arrow Beamer (para apresentações): versão em PDF e código fonte (requer a figura leonardo.jpg).
arrow Tabela Periódica: versão em PDF e código fonte.
arrow The TeX showcase: exemplos diversos com código fonte disponível.
 

TeX spinning O TeX é um sistema de processamento de texto altamente sofisticado, que permite a composição de documentos complexos tais como artigos científicos, livros, gráficos elaborados, posters e até documentos interactivos e animações. Em contraste com os sistemas habituais do tipo What You See is What You Get, em que o utilizador compõe o seu documento através de uma interface, visualizando o documento com o aspecto que é suposto ter, o TeX funciona com base num modelo de formatação das diferentes componentes do documento. Desta maneira o autor é libertado da tarefa de vigiar o aspecto da sua obra, concentrado-se no seu conteúdo. Uma vez que o TeX se ocupa da formatação do documento com base em regras específicas usadas pelos tipógrafos profissionais o utilizador pode ter a certeza de que o seu documento final se encontra pronto para transitar do seu estado digital para a impressão no papel. E as vantagens do TeX não ficam por aqui. Eis uma lista breve das vantagens que qualquer utilizador deve ter em conta: Eis uma história breve da evolução do TeX e dos seus derivados:
  1. Finais dos anos 70: o professor de Matemática da Universidade de Stanford Donald Ervin Knuth está a verificar as provas do seu livro A arte de programação em computadores e gosta tanto daquilo que ve que termina por dizer "Bleech!" (tradução: "Que coisa mais horrível!"). O Prof. Knuth decide então que vai dedicar a sua próxima sabática à criação de uma linguagem de programação, concebida especificamente para o processamento de texto; essa linguagem vai imitar a aplicação das regras usadas pelos tipógrafos profissionais na composição de livros. Após 6 meses de intenso trabalho consegue desenvolver a primeira versão da sua linguagem. Pretende chama-la "TEX", versão latina da palavra grega (greek tex) (pronunciar "tekh"), que quer dizer "arte" ou "ciência". Mas na altura a Honeywell Information Systems já comercializava o seu software de edição de texto Text EXecutive, abreviadamente TEX, o que obrigou o professor Knuth a mudar o nome da sua linguagem para TeX.
  2. Como funciona o TeX? é fácil, basta seguir os passos seguintes:
    • Criar um ficheiro ASCII com a extensão *.tex, contendo instruções (na realidade chamam-se primitivas) do TeX.
    • Processar (compilar) o documento executando o comando tex *.tex. Se as primitivas estiverem escritas correctamente são criados três ficheiros: o primeiro com a extensão *log, o segundo com a extensão *.aux e o terceiro com a extensão *.dvi. Este último descreve a formatação do documento e pode ser enviado para a impressora.
  3. O LaTeX: Trabalhar directamente com o TeX pode ser por vezes um bocado exasperante. Em 1981 um empregado da IBM chamado Leslie Lamport decide tirar proveito das capacidades de programação do TeX, criando instruções complexas (chamadas macros) a partir das primitivas; os macros simplificam a criaçaõ de documentos permitindo a estruturação do mesmo em capítulos, secções, autmotizando a geração de índices, referências, bibliografia, etc. Lamport cria assim o latex, que denomina como um sistema de preparação de documentos, baseado no TeX. A popularidade do latex é de tal ordem, que uma multidão de programadores segue o exemplo de Lamport, introduzindo sistemas próprios de macros, que terminam inevitavelmente por se sobreporem e interferirem uns com outros. Em 1994 a comunidade de utilizadores do latex decide acabar com a proliferação de macros, estandarizando o sistema de Lamport através do latex2e. O sistema original de Lamport recebe a denominação de LaTeX2.09.
  4. O DVIPS: Em 1996 Tom Rockiki liberta os utilizadores do TeX e do latex da dependência dos ficheiros dvi, escrevendo o programa dvips, que transforma ficheiros dvi em ficheiros escritos em PostScript (ps). O PostScript é uma linguagem de programação orientada à descrição de documentos, criada nos inícios dos anos 60 pela Adobe Systems (é de tal forma poderosa que quase ninguem a consegue utilizar). Eis algumas vantagens dos ficheiros ps:
    • O PostScript permite operações elaboradas com os gráficos incluídos no documento, tais como rotação e manipulação do tamanho dos gráficos.
    • Os ficheiros ps são ficheiros ASCII: podem ser editados com qualquer editor de texto e modificados (desde que o utilizador perceba qualquer coisa de PostScript!).
    • Os ficheiros ps são enormes (alto ai, isto não é uma vantagem!).
  5. O Web2c: Em 1997 Karl Berry reescreve o código fonte do TeX de Pascal para C.
  6. O pdfTeX: Em 1998 um estudante de doutoramento da Masaryk University, Brno, chamado Hàn Thế Thành, reescreve o código fonte do TeX para que sejam produzidos ficheiros PDF em vez de ficheiros dvi (esta adaptação é apenas uma parte do trabalho de sua tese de doutoramento, dedicada à microtipografia). PDF é um acrónimo da expressão Portable Document Format, um formato criado pela Adobe Systems; o PDF pode ser imaginado como um PostScript desprovido das suas capacidades de programação. Eis algumas vantagens do PDF:
    • Os ficheiros PDF são muito muito mas pequenos do que os ficheiros em PostScript.
    • O PDF permite incluir ligações e interactividade nos documentos, aproximando-os daquilo que pode ser encontrado em páginas HTML.
    • Os ficheiros PDF são portáveis através de diversas plataformas.
    • A especificação do PDF é pública.
  7. O ConTeXt: tal como o latex o ConTeXt é um conjunto de macros criado em 1991 por Hans Hagen e Ton Otten, ambos funcionários da holandesa Pragma ADE. Ao contrário do latex o desenvolvimento do ConTeXt se encontra altamente centralizado, embora o sistema faça parte das distribuições típicas de TeX. O ConTeXt foi desenvolvido como uma alternativa moderna ao latex, com um suporte extensivo para a criação de documentos complexos e interactivos.
Se estiver interessado na criação de documentos com o TeX eis algumas páginas que vale a pena visitar: